Como funciona boleto registrado

Agora a FEBRABAN exige que os boletos sejam registrados. Se você emite boleto para seus clientes provavelmente já está trabalhando na migração do sistema de boletos SEM REGISTRO para boletos COM REGISTRO e já deve ter se perguntando sobre algumas mudanças operacionais que esta mudança exige. Pois bem, vou te ajudar!

Gravei um vídeo explicando em detalhes como funciona esta modalidade de cobrança e quais os impactos dentro da sua empresa, tanto nas questões operacionais quanto financeira.

De forma resumida um boleto SEM REGISTRO poderia ser emitido mas o banco não sabia que esse título estava na praça. Só saberia quando o título era pago no banco. Além disso esta modalidade permitia por exemplo o cliente “rasgar” o boleto e pedir um novo para você, com data de vencimento atualizada e alteração de valor.

Já no boleto REGISTRADO o assunto é diferente. Ao emitir o boleto o banco é informado sobre aquele título, além disso o banco cobra pela “Emissão” do boleto, “baixa” do boleto, “alteração” de data ou valor do boleto e “manutenção” do boleto, quando este fica no sistema do banco por um período maior que o contratado.

No caso das taxas nós recomendamos que você sente com seu gerente do banco e negocia as taxas, por exemplo pagar na emissão mas não pagar na baixa do boleto, isso fará muita diferença.

Nas questões operacionais, existem mudanças significativas também. Empresas de formatura por exemplo, que gerenciam todo o financeiro de uma festa de formatura, não poderão mais ficar imprimindo carnês com 12 parcelas, pois caso o aluno desista da formatura a empresa de formatura terá que pagar pelos 12 boletos emitidos, além de pagar pela manutenção destes boletos no banco.

Outra mudança significativa de operação é que você não poderá ficar alterando data de vencimento, caso seu cliente esqueça de pagar o boleto. Esta operação de alteração de data de vencimento também será tarifada pelos bancos.

Outra mudança é em relação ao tempo para pagar o boleto. Se o boleto for emitido e registrado logo em seguida, o cliente poderá pagar o boleto normalmente. Mas caso sua “remessa” de boletos seja feita só no final do dia, seu cliente não pode emitir o boleto e pagar imediatamente, pois como o banco não sabe que aquele boleto existe, ele vai dar erro no momento do pagamento.

Por fim, toda esta mudança tem um lado muito positivo, a segurança. Com os boletos registrados, as fraudes com boletos falsificados tendem a cair muito, pois sem o registro, o estelionatário não tem como confirmar o processo do pagamento. Pelo menos por enquanto.

Clique no link para assistir ao video: https://www.youtube.com/watch?v=udqtNpDdV5A

Espero que tenha ajudado com este vídeo e texto!

Forte abraço.

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *